Perdi o cabaço com o servente de pedreiro

Bem, tudo aconteceu quando tinha apenas 19 anos; hoje tenho 32. Era um garoto pequeno pela idade mas muito jeitoso, nunca tinha imaginado transar com meninas e muito menos com meninos e além de tudo era muito inocente, na verdade não sabia muito sobre sexo. Meu pai estava construindo o que hoje é um supermercado e quando chegava do colégio, pois estudava de manhã, chegava no horário de almoço dos pedreiros. nos fundos da construção havia uma parte que era bastante escondida e onde havia ali areia para a construção e sempre ia lá na hora do almoço para conversar com um rapaz de uns 19 anos que trabalhava como servente. gostava da amizade dele e não fazia ideia que o que ele queria era outra coisa. Certo dia quando cheguei já estava ele os demais pedreiros haviam saído e ido para suas casas e ele ficará para arrumar as coisas e depois ir embora também. sentamos e começamos a conversar daí a pouco começamos a brincar um com o outro e a dar empurrões para que o outro caísse na areia, ele caía e me puxava pra cima dele, eu levava tudo na brincadeira até que em um momento ele caiu e me prendeu com suas pernas e senti que seu pinto estava meio duro, sai meio sem graça e ele perguntou o que foi, não respondi nada e levei na brincadeira, achei que era por causa de sua idade, que seu pau era maior, etc. Ele percebendo que eu diminuíra na brincadeira me empurrou e meio que sem querer caí com a barriga no chão e ele se jogou por cima já pressionando o pau na minha bunda. não gostei e pedi pra parar, ele se fez de desentendido e segurou minhas mãos. Eu disse que iria gritar e ele imediatamente segurou minha boca e disse que eu iria gostar. Apoiado sobre mim com uma mão na minha boca levou a outra mão e puxou a rola por uma das pernas do short e em seguida abaixou o meu até revelar minha bundinha inocente. Naquele lugar deserto e todo escondido ainda que eu gritasse ninguém me ouviria. Ele, voltando para mim disse pra não reagir muito porque senão iria doer mais era só ficar calmo; emudeci e fiquei esperando o que iria acontecer. percebendo ele que eu não reagia levantou-se um pouco e colocou a cabeça de sua rola na minha bunda, bem na porta do meu cuzinho ainda virgem e foi logo forçando. Aquilo ia cada vez doendo mais, eu achava que não iria aguentar até que então de uma só vez ele enfiou tudo. não sei ao certo quanto ele tinha de rola, mas a julgar pelo seu porte e pelo negro que era, seu pau era enorme e me rasgou todo. Ele metia e me dizia no ouvido: Tá gostando de se tornar um viadinho, eu to te fazendo o viado da rua e se não ficar quieto todo mundo vai saber. Como não queria ficar difamado, me calei e deixei ele fazer o que quízesse. Apás uns 19 minutos de estupro, ele gozou, tirou seu pau da minha bunda e me disse que estaria ali até ao final da construção e quando eu quizesse era só procurá-lo. Saí dali quase chorando e nunca mais voltei lá até ao final da construção; mas pra ser sincero, continuei tendo o desejo cruel de ser estuprado por ele de novo.


168 MB DOWNLOAD

 

Leave a Reply

Your email address will not be published. Required fields are marked *

*