Barbeiro passou do limite – Meu relato real

Olha eu contando coisas reais que aconteceram comigo. Bem, pra ser franco isso de ir cortar o cabelo e o cabeleireiro ou barbeiro encostar demais e você sentir o pau dele no cotovelo ou braço nunca me aconteceu até porque eu recolho os braços todas as vezes, o mesmo digo do Uber, sempre sento atrás e sempre estou de fone de ouvido, então flertar com o motorista é totalmente fora de questão pois eu automaticamente elimino todas as chances disso acontecer. A uns dois anos atrás, antes da pandemia, estava indo 2 vezes por mês cortar o cabelo e fazer a barba em um salão aqui perto onde moro atualmente, um salão bem cheio e eu não gosto disso mas como dei certo com o barbeiro virei cliente. O barbeiro devia ter uns 36 ou 37 anos, casado com uma evangélica e inclusive ela também trabalhava no salão como cabeleireira. Eu por ser gay assumido, não sou o tipo simpático demais, que puxa conversa e que fica sorrindo pra homem hétero porque não quero que eles achem que eu estou dando encima deles, do mesmo jeito que mulher não pode ser um pouco mais simpática que eles já acham que elas querem dar pra eles, o mesmo é com nós gays, então eu sou aquele gay cara fechada, que só fala o necessário e só cumprimenta héteros se eles o fizerem primeiro. Como virei cliente, ia 2 vezes por mês, sempre cortava o cabelo e fazia barba, o barbeiro as vezes puxava assunto, geralmente ele falava de academia, e fala de suplementos e até de bomba, até que um dia ele simplesmente começou a falar que tinha comprado um produto na internet que prometia deixar o pau, isso mesmo, a rola maior e mais grossa, do nada ele começou a falar do pau dele, que estava fazendo o teste desse produto. A partir da primeira vez que ele tocou nesse assunto, todas as vezes a seguir que fui cortar o cabelo desde então ele sempre falava do pau dele e que estava tendo resultado, que o pau dele estava mais grosso e que ele estava aguentando fuder por mais tempo, detalhe que ele me falava essas coisas enquanto cortava o meu cabelo, quase sempre com o salão cheio e com a mulher dele trabalhando próximo, claro que ele falava baixinho, quase sussurrando. Várias vezes notei a mulher dele olhando pra gente através do espelho, tenho certeza que ela não fazia ideia do que a gente falava mas ela tinha uma curiosidade que estava explícita. Chegou em um determinado ponto que se eu tivesse dado mais corda, era capaz dele me mostrar a rola só pra mostrar o tal resultado que ele teve mas não o fiz, na verdade eu era mais ouvinte e nem fiquei interessado em ver, e olha que ele não era e não é de se jogar fora. Até hoje não sei o que rolou, sério, porque de repente ele falava sobre isso com outros clientes, é natural homens héteros falarem sobre suas rolas uns com os outros e apesar de ser assumido e não disfarçar a minha sexualidade, nem todo mundo saca na hora, as vezes é preciso dizer com todas as letras que sou gay. A pandemia veio e desde então corto o cabelo em casa com maquininha, passo a máquina zero. Sinto que vou morrer e não vou chegar a uma conclusão a respeito disso.

One comment

  1. Você tem que voltar lá depois da vacina, amigo! Só pra ver se ele vai lembrar do assunto e comentar de novo rsrs

Leave a Reply

Your email address will not be published. Required fields are marked *

*

Esse site utiliza o Akismet para reduzir spam. Aprenda como seus dados de comentários são processados.